A participação das mulheres no mercado imobiliário


Segundo matéria da FENACI (Federação Nacional dos Corretores de Imóveis), a participação das mulheres no mercado imobiliário, atualmente, já é superior a 40%. As mulheres atuam enquanto corretoras, além de já estarem presentes nos órgãos representativos da categoria, como sindicatos. Mas, você sabia que até há pouco tempo era proibido que as mulheres atuassem como corretoras?

a história

No Art. 37º do Código Comercial Brasileiro encontramos a seguinte redação: “Não podem ser corretores: […] 2. as mulheres”. Ou seja, era expressamente proibido por lei que as mulheres praticassem tal profissão. Foi apenas em 1958 que a cláusula foi revogada.

participação significativa no mercado

A participação das mulheres no mercado imobiliário data de apenas 60 anos, o que faz com que a porcentagem de 40%, citada na pesquisa da FENACI, seja altamente significativa. Além disso, a cada dia elas conquistam mais espaço.

Pesquisa recente divulgada pelo Creci-RJ (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) revelou que a participação feminina na corretagem de imóveis aumentou 122% entre 2006 e 2016.

SUPERAÇÃO

A trajetória das mulheres como corretoras contou com vários obstáculos. Após a eliminação do impedimento legislativo, tiveram que conquistar, aos poucos, o mercado, tendo grande ascensão durante a década de 90.

Atualmente, profissionais da área demonstram-se felizes pela participação feminina,  além de reivindicarem maior espaço dentro de órgãos representativos da categoria. Recentemente, as mulheres começaram a assumir, pela primeira vez, cargos de presidência ou vice-presidência dentro dos conselhos e federações.

PROFISSIONALIZAÇÃO

Um dos fatores mais citados, em diferentes pesquisas, para o aumento da participação das mulheres no setor imobiliário, diz respeito à profissionalização. Para exercer a profissão de corretora, é necessário formação acadêmica.

De forma geral, as mulheres representam a maior parcela de alunos que ingressam no ensino superior. Segundo dados do Censo da Educação Superior de 2016, as mulheres representavam 57,2% das matrículas em cursos de graduação.

Ademais, pesquisas demonstram que o público feminino tende a buscar maior formação e capacitação ao longo da carreira, além de representar cada vez maior participação no mercado de trabalho.

COMPETÊNCIA

Outras características também são apontadas por profissionais da área. Corretoras tendem a ser melhores na resolução de conflitos, além de se demonstrarem mais empáticas às exigências do cliente, terem maior criatividade e habilidade de comunicação.

Mesmo após tanto progresso, as mulheres ainda sofrem com o preconceito e machismo, em qualquer profissão. Contudo, elas têm vencido esses obstáculos e conquistado cada vez mais espaço no mercado nacional e mundial. E que essa participação cresça cada vez mais!

Um abraço da equipe Roca e até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *